You are here

Canções

Irresistível

Sabe aquela noite? Você veio assim, irresistivelmente,
E eu deixei você me pegar no colo e encher de sol a minha vida
Veio urgente, intenso, incandescendo meus sentidos
E eu não pude mais me esconder,
Fiquei e deixei a sua mão brincar com meu vestido

Te contei os meus segredos, quando dei por mim
Meu coração já estava em pleno alto-mar

Os fogos de artifício, a luz da lua, as ruas modelando a multidão
Seu beijo me trazendo o bom da vida
Agora o que é que eu faço pra esquecer?
Seu beijo me trazendo o bom da vida
Agora o que é que eu faço pra esquecer você?

Se eu fechar os olhos você chega incendiando o pensamento
E outra vez o sol me pega pela mão, transforma em festa o dia-a-dia
Gosto de ficar lembrando o som da sua voz no meu ouvido
Agora sei de cor a hora em que o seu beijo interrompia o nosso riso
Me arrisquei, deixei meu barco se afastar demais do cais
Perdi a rota e a hora de voltar

Você me disse as coisas que eu queria
Me fez te confessar sem perceber que tudo foi bem mais que uma aventura
Agora o que é que eu faço pra você?
Você me disse as coisas que eu queria
Agora o que é que eu faço pra você voltar?


(Letra e música: Natália Nami)

Bateria: Di Stefano
Contrabaixo, percussão e vocais: Arthur Maia
Violão e guitarra: Marcos Godoy
Guitarra wah wah: Frode Barth
Teclado: Wagner Derek
Arranjos vocais: Arthur Maia
Arranjo: Marcos Godoy e Arthur Maia

Vou-me embora para Marte

Vou-me embora hoje mesmo para Marte, que a coisa por aqui está ruim demais
Lá em Marte não tem furo no ozônio nem fumaça arranhando o nosso ar
Sempre é festa, tem comida e o sol esfria no outono; primavera, nasce flor
É por isso que estou, estou indo lá pra Marte, quero a chuva lá de Marte tipo exportação
Deixa o carro na garagem, fica esperto que o lotação da NASA
Vai passar aqui, passar aqui
Vamos embora agora mesmo para Marte que aqui quem foi feliz foi sua avó
Lá em Marte a criançada vai pra escola e de tarde sai na rua pra brincar
De repente aparece um arco-íris, todo mundo para tudo pra olhar
A gente fuma o que quer, com respeito,
E é por isso que não tem bala perdida nem se trai irmão
Vem depressa, não demora, vem trazendo todo mundo
Não esquece do meu violão

(Letra e música: Natália Nami)
Violões: Marcelo Nami

Não Ter Você

Ter tudo e não ter você é ser feliz sem ser
É se arrumar para a festa que já passou
É o avesso do vestido novo, é o amplificador tocando o rádio sem caixa de som
É o tombo do balanço enfeitado, é o errado da perfeição

Ter tudo e não ter você é adoçar com sal, é se saciar sem antes ter o sabor
É o sono sem o travesseiro,
É o apresentador no picadeiro do circo vazio
É o Rio sem o azul da Guanabara, é um Saara na plantação

Ter tudo e não ter você é ler sem entender
É silenciar os versos do violão, é a palavra sem a poesia
É o dia de verão com céu nublado, é saudade do sol
É o sonho que caiu no esquecimento, desalento em consolação

Ter tudo e não ter você
Ter tudo mas ter pra quê?

(Letra e música: Natália Nami)
Violões: Marcelo Nami